10.19.2006

DE DEUS, RELIGIÕES E ALGUN$ MINISTRO$


O Dono_do_Bar, em seu comentário ao último post, cita um famoso ditado popular: “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço.” E o pior é que, depois de ter dito que religião, futebol e política não se discutem, lá vou eu meter a minha colher torta no primeiro destes explosivos assuntos. Mesmo sabendo que o DB tá certo.

Mas o culpado é o Serbon, que me atirou a isca também no seu comentário; e há certas iscas às quais, confesso, eu não resisto. Assim, resolvi falar um pouco do que penso sobre religiões. Deixando claro, entretanto, que não tenho a menor pretensão de ser o dono da verdade; esta é apenas a minha opinião.

A minha formação religiosa é tão eclética quanto uma boa salada de frutas.

Nascido de um casal espírita, freqüentei aulas de evangelização, da infância à adolescência, no próprio centro. Enquanto isto, assistia às aulas de religião (leia-se catolicismo), na escola pública. Era matéria curricular.

Depois de já crescidinho, descobri a umbanda. E fiz algumas pesquisas sobre islamismo, esoterismo, budismo e rosa-cruz; como também sobre o protestantismo e as chamadas religiões evangélicas. Pesquisei até sobre o candomblé e um pouco sobre a magia.

Isto me deixa a cavaleiro, para dizer que da mistura de muitas religiões surgiu a minha crença. Que não se subordina a qualquer uma delas, mas agrega elementos de todas. Eu disse que não sou sectário, vocês lembram?

Em princípio, acredito que toda religião é boa. Religião vem de “religare”, do latim, e significa a religação do homem a Deus. Isto jamais poderia ser ruim.

Além do aspecto místico e/ou metafísico, que é sempre discutível, creio que as religiões são verdadeiros freios sociais; talvez mais efetivos que as leis terrenas, porque envolvem a vida eterna. O criminoso, que não teme a pena de morte, pode temer a danação do inferno; e por isto não cometer o crime.

Têm as religiões, portanto, um papel importante, na viabilização da sociedade humana. E só encaminham o homem para o bem; eu não conheço nenhuma cujos mandamentos incluam matar, roubar ou estuprar. As religiões são boas. Não é nelas que podem residir os problemas, mas nos seus sacerdotes.

Aqui, o bicho pega. Porque os ministros religiosos são humanos e a maioria deles se arroga o direito de falar em nome de Deus. Isto, confesso, já me parece uma heresia. Mas não é o pior.

O pior é a própria falibilidade dos ministros; as falhas e imperfeições humanas, que os levam à defesa dos seus próprios interesses, ou dos interesses da igreja a que pertençam; o que vem dar quase no mesmo.

Desta falibilidade surgiram as Cruzadas, a Inquisição, o Cisma, as Indulgências. Surgiram muitos massacres ditos “religiosos”, ao redor do mundo, ao longo dos tempos. Dela, nasce muito do sofrimento dos povos judeu e árabe. Dela, nasceram os kamikazes e sua versão mais moderna, os homens-bombas.

Para mim, isto não é religião; já é fanatismo. E eu jamais acreditaria num Deus que ordenasse ou sequer aceitasse a matança entre seus filhos. Ao meu ver, é uma impossibilidade lógica.

Temos, também, as igrejas cujos ministros se comportam como verdadeiros fiscais da Receita Divina, exigindo pesados impostos daqueles que as freqüentam; em dinheiro vivo, de preferência, embora também sejam bem-vindos imóveis, jóias, automóveis e outros bens não perecíveis.

Para atrair donativos maiores, prometem o retorno divino; e, como vender bem-aventuranças no céu, após a morte, já caiu de moda desde a idade média, muitos deles oferecem a solução de problemas terrenos e o sucesso financeiro. É o legítimo dá-cá-toma-lá. Quase uma operação de venda, com a promessa de entrega do produto.

Para mim, isto também não é religião; é mercantilismo. Pior: é uma fraude. E uma fraude praticada com o nome de Deus.

Se os meus conceitos de Deus e religião estiverem certos, estes estelionatários que roubam pobres desesperados e incultos, agravando os seus sofrimentos, terão uma conta muito pesada a acertar do outro lado. Se eu estiver errado, eles foram espertos e se deram bem; mas, em nenhum caso, serão ministros de Deus.

Pelo menos, não do Deus em que eu acredito.

54 Comments:

Blogger Olhos de mel said...

Flávio, assim como você, tenho a minha convicção.. Admiro muito o espiritismo e faça evangelho no lar. Mas acredito que qualquer caminho é válido para se chegar a Deus. O importante não é fazer parte dessa, ou, daquela, mas seguir os ensinamentos que por ele foram deixados. Nossa conduta deveria ser sempre visando o crescimento espiritual, o bem comum, infelizmente não é isso que acontece. Cada um visa apenas, seu bolso, suas conveniências.
Bjs

9:37 PM  
Blogger Flávio said...

Olhos doces, por aí. Eu também não creio que a diferença seja feita pela religião que se adota, mas pelos pensamentos e atitudes. :) Bjs

11:20 PM  
Anonymous Flavia Sereia said...

O homem tem o dom de estragar tudo, até as religiões.

bjs

3:25 AM  
Anonymous cilene said...

Em nenhum caso eles sao representantes de Deus--Sao representantes dos seus interesses. e concordo toda religiao e boa...desde que leve vc ao encontro de algo que a gente nao consegue ver, apenas sentir..bom fim de semana e obrigada.mandei um cartoa de agradecimento

6:59 AM  
Blogger Dono do Bar said...

Velho, eu fui criado no Kardecismo desde muito pequeno. Participava dos Cultos ao Evangelho do Lar e tudo mais. Até hoje, não encontrei uma religião que pudesse me dar respostas tão claras e satisfatórias quanto o Espiritismo. Embora eu tenha me afastado e partido para outra religião (acontece!), ainda tenho O Evangelho e o Livro dos Espíritos perto. Só tenho um defeito em relação ao que se tratou: preguiça! Eu deveria ser muito mais atuante. Mas...
Um abração, amigo.

Flavio (DB)

8:29 AM  
Blogger Vera Fróes said...

Flávio, como já disse no poste anterior, sou católica mas com simpatias com o budismo e o espiritismo. Respeito a religião de todo mundo e gosto que respeitem a minha tbm. Acredito num Deus do bem e sigo a máxima "Não faça aos outros o que não queres para si". Não digo que a minha religião é a melhor e sim que para mim ela é a melhor. Cada um que busque a sua. Só não acredito na religião em que a pessoa fique alienada da realidade e passa para o fanatismo. Fanatismo não é coisa de Deus(pelo menos na minha opinião). Já fui mais atuante na minha igreja, mas confesso que atualmente estou relapsa. Mas vou mudar!
Bjos.

9:30 AM  
Anonymous junior said...

Flávião, tb tenho uma relação de amor e ódio com as religiões.
Ahh, acho que segunda consigo ir ver aquele lance dos livros.

10:07 AM  
Anonymous Bruna* said...

Oiiii
seu blog é bonit, criativo adorei...
gostei do ke disse sobre religiao tb..
depois aparfece no meu
bjos
;**

11:11 AM  
Anonymous Anônimo said...

OI
religião... como futebol... complicado de discutir!!!
bju
boa semana!

11:39 AM  
Anonymous Anônimo said...

o anonimo era eu

bjs

www.karenzita.blogger.com.br

11:46 AM  
Blogger Flávio said...

Taí, Xará... vc tá 100% certa! :) E sabe que eu ainda tou rindo com a história da perereca e dos pintos? ;) Bjs

3:11 PM  
Blogger Flávio said...

Cilene, é por aí mesmo... a religião precisa começar de dentro de nós! Espero que você tenha recebido meu cartão e... parabéns, de novo, viu? ;) Abraço gde

3:12 PM  
Blogger Flávio said...

DB, concordo com vc, inclusive qt à clareza e lógica das respostas do espiritismo. E concordo, tb, que é muito difícil manter uma atividade espiritual, na luta da sobrevivência diária. Eu já fui até diretor de centro... mas vou deixar essa história pra outro post. :) Abração.

3:40 PM  
Blogger Flávio said...

Vera, pelo jeito a essência das nossas religiões é parecida. :) Eu ando meio parado, tb, mas é como disse ao DB... é difícil achar tempo! Bjs... coragem pra mudança! ;)

3:42 PM  
Blogger Flávio said...

Júnior, eu sinceramente acho que as religiões seriam ótimas... se não fosse pela maioria dos sacerdotes. E olhe que isto se repete desde a antiguidade! :) Os livros já foram, hj. Confirme recebimento, sim? Abração

3:47 PM  
Blogger Flávio said...

Bruna, brigado pela visita... e por ter gostado. Apareça sempre! :) Bjs

3:49 PM  
Blogger Flávio said...

Bruna, brigado pela visita... e por ter gostado. Apareça sempre! :) Bjs

3:49 PM  
Blogger Flávio said...

Karen, melhor discutir o Grêmio, né? :) Bjs, boa sorte no domingo!

3:51 PM  
Anonymous Serbon Picapau said...

Vodu é pra jacu!!!

5:28 PM  
Blogger Tina said...

Flávio, muito boa sua explanação, afinal "As religiões são boas. Não é nelas que podem residir os problemas, mas nos seus sacerdotes." Disse tudo.

Sinto pelos que ainda "caem" nessas, mas não dá para mudar.

Beijo prá você,

6:34 PM  
Blogger Laura said...

Post ótimo. Eu fui criada em colégio de freiras e fiquei com horror de padres e freiras. Sorry os católicos. Ô povinho fingido...
Atualmente não sou nada, ando namorando o budismo -acho bom pra cabeça. Tbm acho que religiões seguram a cabeça de muitos- tem tanto doido fanático por Igrejas- variadas. E tb a Igreja faz mto estrago, reprimindo, proibindo- ah! não tenho paciência. Gosto de ser livre e ver as pessoas livres, terem livre arbítrio, mas tem gente que gosta, entonces eu respeito. Cada um sabe o que é melhor pra si. Se não sabe problema dele hihihi
bom fds para vc tb. bj laura

6:42 PM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Assim como vc nasci em berço espírita e num terreiro cresci,achava lindo ir a igreja e lá ia eu até correr do padre que tentou "bulinar" minha irmã mais nova,fui ao candomblé[gosto muito] e casei na igreja católica pelo belo ritual e agradar vovós e papais,conheci umbanda, rodei com os atabaques, fui [e vou] ao ritual do Santo Daime e só me falta conhecer a igreja evangélica, mas acho que essa ficará pra minha próxima encarnação,rss
E lá vou eu nessa onda de igreja, templos, terreiros até chegar no "meu altar" onde tenho incensos em profusão, imagens dos meus santinhos de devoção, fitinhas de ajuda, lampadinhas de luz lilás,pedras e cristais, mensageiros de vento, hinários do Mestre Irineu[descobridor do Santo Daime],aff! e cá estou eu feliz e super protegida na minha fé que se limita amar ao outro como amo a mim mesma, muito!
Religião? cada um segue a sua a que vai fazê-lo bem consigo mesmo sem explorar a boa fé de ninguém.
Falei demais, desculpa,rss
lindo findi querido
beijosssssssssssss

7:47 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, por isto mesmo deixei de lado o vodu! :) Abração

9:11 PM  
Blogger Flávio said...

Sabe, Tina? Pelo que estou percebendo aqui nos comentários, cada um acabou, digamos, assimilando uma religião própria. Por esta e outras, tenho orgulho da frequência deste blog! :) Bjs, bom fds

9:12 PM  
Anonymous Clara said...

Eu não acredito nas religiões, em nenhuma delas, sequer! Vc sendo bom conhecedor de cada uma delas, sabe que cada qual prega o que lhes convém e ponto final. E fica um puxa-puxa de Deus pra lá e pra cá e nunca saberemos qual tem razão!!

Não coloco Deus nessas questoes, pq tenho certeza de que Ele está distante de tudo isso, e é muito melhor do que tudo isso.

A verdade é que ELE é por si só. Eu foi nessa verdade, que eu descobri todo amor que tenho por Ele e D'Ele por mim.

Beijo, meu querido... bfs.

9:15 PM  
Blogger Flávio said...

Laura, é exatamente como eu acabei de dizer: o importante é que cada um de nós utilize o livre arbítrio, o coração e a mente, para que possa encontrar Deus. E a felicidade, claro! Bjs

9:17 PM  
Blogger Flávio said...

Clarinha, não falou demais, não. Falou muito... muito bem! :) Depois que a gente conhece muitas religiões, descobre que o principal é "sentir" Deus e procurar fazer o bem. É por aí. Bjs, bom fds... ah! os livros foram hj, viu? ;)

9:24 PM  
Blogger Flávio said...

Clara, é por aí mesmo. Cada um de nós encontra Deus dentro de si... ou não. A religião é apenas um caminho. Tb acho isto. Bjs, bom fds! :)

9:26 PM  
Anonymous Júnior said...

Flavio, eu tenho uma religião própria. Bom saber que tem mais gente pensando assim.

12:28 AM  
Blogger Vera Fróes said...

Passando para desejar um maravilhoso fim de semana.

Bjos.

1:15 PM  
Blogger Olhos de mel said...

Flávio! Que seu fim de semana seja feliz! Que as núvens que mudaram a linda paisagem, não ofusquem o intenso brilho do sol, nem escondam o azul do infinito e assim possa aproveita-lo intensamente.
Bjs.

3:43 PM  
Blogger Olga Correia said...

Olá!
Encontrei o teu blog por mero acaso e gostei muito. Curiosamente ainda um destes dias fiz também um post sobre religiões. Partilho da mesma opinião. Se eu tivesse de me afirmar obrigatoriamente de uma religião seria da religião do Amor!
:)

4:08 PM  
Anonymous Blogue da Magui said...

Eu fecho com vc nesse tema. E mais ,se não podemos trocar idéias sobre todos os assuntos para que conversar? E se todo mundo falasse e pensasse a mesma coisa não haveria conversa. Essa idéias de que não se pode discutir todos os assuntos é coisa de gente caladona. Quem fala pelos cotovelos como nós nenhum assunto é tabu.

7:10 PM  
Blogger Mary said...

Concordo com tudo que vc disse nesta postagem.
Tenho uma religião,mais acredito que o que menda mesmo é seguir os encinamento que nos foi deixado.respeito a todas as religiões apesar de ver que algumas acham que outras não são certas.Bom nem vou continuar o assunto para que não vire uma critica.
Beijão pra vc amigo e bom fim de semana

7:14 PM  
Blogger Flávio said...

Júnior, eu acho que cada um de nós tem uma religião própria, sempre. A forma de ver Deus é sempre muito pessoal... :) Abraço grande

7:15 PM  
Blogger Flávio said...

Vera, brigadão... pra vc também! :) Bjs

7:17 PM  
Blogger Flávio said...

Olhos doces, as nuvens não apagam o sol... apenas o encobrem, e por pouco tempo: como às vezes acontece com a verdade, que sempre volta a brilhar. :) Bjs, bom fds

7:20 PM  
Blogger Flávio said...

Olga, com certeza! O Amor está (ou deveria estar) na essência de qualquer religião, por ser a própria essência de Deus. :) Volte sempre.

7:27 PM  
Blogger Flávio said...

Magui, até que tem alguns que são... mas a gente encara! :)

7:28 PM  
Blogger Flávio said...

Mary, por aí... o principal é a consciência tranquila e a fé em Deus. Estes são os maiores ensinamentos. Bjs, bom fds! :)

7:30 PM  
Anonymous gugala said...

Que alah tenha pena da tua alma. abç

7:57 PM  
Blogger Flávio said...

Gugala, eu tb espero que sim! :) Abração

8:08 PM  
Blogger G. Pinheiro said...

Sempre, sempre usam-se da fé do povo e dos inocentes. Mas nosso Deus há de julgar isso, mais cedo ou mais tarde, não se preocupe.

Abraço

1:33 AM  
Blogger Jéssica said...

Sou leiga no assunto, creio em Deus, temo (nãod e medo) e tremo diante da Sua Santidade. O homem estragou as religiões, todas elas. Eu não as discuto e nem defendo a minha até pq não tenho uma, até pq implica em frequentar templos e eu to fora desse tipo de compromisso. O meu compromisso é tão somente com Deus, no meu dia-a-dia. Não dou pitaco em nenhuma, cada um sabe de si e deve ter consciência de q um dia vai se encontrar com Ele e haverá de acertar as contas. O perigo de se falar no assunto é q normalmente a gente generaliza, bota todas e todos no mesmo saco... e não é por aí. Mesmo não concordando com td q disse, gostei do post, aliás curto muito vir aqui e ler o q vc escreve. Vejo muito bom senso e bastante sabedoria... de quem já viveu muita coisa. Obrigada por vc existir. Beijo e bom domingo*.*

9:02 AM  
Blogger Ricardo Rayol said...

Vi uma explicação interessante para o aparente desinteresse de Deus em impedir as catastrofes causadas por nós meros mortais. Se você é pai você com certeza indicará o caminho ao seu filho para que ele se livre dos perigos. Mas não pode impedir que ele o faça.

Concordo com você que aquele que se arroga como arauto de Deus é no mínimo um cretino. E todos nós temos de uma certa forma um contato com algum tipo de Deus.

Quanto ao medo do inferno tenho lá minhas dúvidas. Por que os poderosos abusam tanto dos pecados que é dificil acreditar que exista realmente uma punição. Ou que hajam 70 virgens nos esperando no paraíso para nos servir. E por aí vai.

Cara, tema bem espinhoso este rs

9:04 AM  
Blogger Flávio said...

Jéss, eu ficaria muito surpreso se houvesse concordância total sobre este assunto! :) Realmente, já vivi muito... às vzs, acho que até demais. :) Bjs, bom domingo

10:07 AM  
Blogger Flávio said...

Gabriel, eu creio mais ou menos por aí... e ainda acho que seremos os nossos próprios juízes, o que é bem mais rigoroso! Abração, bom domingo

10:09 AM  
Blogger Flávio said...

Ricardo, é uma das coisas que me atraem no espiritismo: admitir o direito ao livre-arbítrio. Qt aos "arautos de Deus", não consigo entender pq um filho precisaria de intermediário para falar ao pai. Qt ao céu/inferno, uma pergunta curiosa: o que um homem faria com 70 virgens? Não seria melhor um número menor, com mais conhecimento? :) Abração, bom domingo

10:20 AM  
Blogger Rita Contreiras said...

Vivi experiências semelhantes às suas, por isso respeito as diferenças, pois em alguns momentos elas fizeram parte do meu processo de crescimento e me foram de grande importância na construção do que hoje sou. Agora, entretanto, alicerçada pela minha busca, tenho uma crença entranhada que me pauta as atitudes e sentimentos, e nada mudaria ela, pois está fortemente vinculada à consciência. Tenho uma religião a que me dedico mais, mas sinto que o que desenvolvi dentro de mim é mais forte e estou sempre alerta a manipulações e alienamentos.Assino embaixo do que vc coloca e como sempre, enriqueço-me ao visitá-lo. Bom domingo e grande abraço.

10:59 AM  
Blogger Flávio said...

Rita, notou como cada um de nós tem, digamos, uma crença própria, fundamentada na visão particular de Deus? Isto é uma prova, creio eu, do nosso amadurecimento. Quanto ao enriquecimento... é mútuo! :) Bjs, bom domingo

12:16 PM  
Blogger Jéssica said...

Listagem de religioes

Adventista do Sétimo Dia
Batuque
Bramanismo
Budismo
Catarismo
Candomblé
Cientologia
Cristianismo
Discordianismo
Espiritismo
Fé Bahá'í
Hinduísmo
Igrejas do Daime
Islão
Jainismo
Janelismo
Judaísmo
Messiânica
Movimento Hare Krishna
Movimento Sannyasin de Osho® Rajneesh
Quakers
Religiões Nativas Americanas (Inclusive Mórmons)
Santo Daime
Satanismo
Seicho-No-Ie
Sikhismo
Taoísmo
Teosofia
Testemunhas de Jeová
Umbanda
Wicca
Xamanismo
Xintoísmo
Zoroastrismo

Tem pra todos, né? Acho qeu não esqueci de nenhuma...rs... Ótima semana pra vc e sua família. Saúde e paz é o mais importante. Beijo*.*

6:55 PM  
Blogger Flávio said...

É, Jéss... tem pra todos. Mas, infelizmente, faz falta a tantos! :) Bjs, bom fds

7:05 PM  
Anonymous Enoisa said...

Oi! Flávio! Sou e sempre fui católica. Acho que meu DNA é católico!! rsrsrs Tenho um conhecimento razoável da história do cristianismo e de inúmeros documentos, tais como: enciclicas, subsídios da CNBB, etc. Sempre leio sobre outras religiões e penso que em todas, assim como em todos os segmentos sociais, existem pessoas com e sem compromisso. Da mesma maneira que existem maus padres, há também maus professores e médicos...também é assim na família da gente, né? Sempre tem um parente cujas posturas a gente não concorda, né?! Procuro respeitar as crenças de todos(as) pois assim, penso estar também respeitando o modo do outro ser e viver. Abraços!

9:07 PM  
Blogger Flávio said...

Enoísa, parabéns pelo primeiro DNA religioso da história, viu? :) Desculpe a brincadeira, mas, falando sério, acho que é por aí mesmo: cada um tem a sua crença e respeitar a alheia é a melhor forma de merecer que a nossa seja respeitada! :) Bjs

12:58 AM  

Postar um comentário

<< Home