4.15.2006

VOTO SECRETO, SÓ PARA O ELEITOR!!!

Aumenta o número de deputados mensaleiros absolvidos por seus colegas de excelência. E isto traz de volta a questão do voto secreto, para os integrantes do Poder Legislativo.

Sou contra. Acho que o voto secreto dos parlamentares contraria a própria essência da democracia: “o poder do povo, para o povo e pelo povo”.

Ao votar, o parlamentar está votando em nome das pessoas que o elegeram; cada voto de um Vereador, de um Deputado, ou de um Senador, representa, na verdade, o voto de todas as pessoas que o escolheram para o cargo que ocupa. E ele tem a obrigação de fazer valer a opinião dessas pessoas.

A lógica é simples: quando você vota em alguém, está dando a esse alguém poderes para representar você no governo, para defender as suas opiniões e os seus interesses; está dando, a esse alguém, uma procuração para falar em seu nome. Quando a pessoa que você elegeu vota, é como se você estivesse votando.

Ora, se você não sabe como esta pessoa votou, como pode saber que ela expressou a sua vontade? Como pode saber se o voto que ela deu foi o mesmo que você daria, se estivesse decidindo sobre a questão? Como pode saber se ela merece ser reeleita, para continuar a representar você no governo?

Você, simplesmente, não sabe. E por isto, na próxima eleição, vai votar “no escuro”; vai dar o seu voto, conceder uma procuração, a uma pessoa que talvez esteja contrariando o que você pensa, decidindo contra as suas opiniões.

Por que muitos parlamentares defendem o voto secreto? Talvez, justamente para que possam votar contra a vontade do povo, contra os interesses daqueles que os elegeram, sem serem cobrados por essa atitude. OK, é uma resposta incômoda, mas que outro motivo pode existir?

Uma das grandes causas dos problemas brasileiros é a impunidade. E o voto secreto concede aos parlamentares uma espécie de impunidade eleitoral: a certeza de não serem cobrados por suas decisões, de não assumirem a responsabilidade pelos votos que apresentam, pelas decisões que tomam em nome de seus eleitores.

O eleitor tem direito ao voto secreto. Porque, quando vota, está expressando a sua opinião pessoal; escolhendo a pessoa na qual confia, que acha mais indicada para defender a sua opinião. Dá, ao candidato que escolhe, uma procuração para representar a sua vontade no governo.

Parlamentares não têm direito ao voto secreto. E não têm, porque não estão ali para dar a sua própria opinião, mas sim a opinião daqueles que os elegeram; para cumprir a vontade do povo, das pessoas que confiaram neles e lhes deram a procuração do mandato. Caso contrário, a democracia deixa de existir, e se transforma numa oligarquia, onde poucas pessoas decidem os destinos do país.

Vamos acabar com o voto secreto. Assim, combateremos a impunidade eleitoral e teremos uma política mais limpa. E estaremos dando um passo importante, para termos a verdadeira democracia!


Se é que isto ainda pode existir, em nosso país...


Para ilustrar as nossas excelências, ninguém melhor que os simpáticos Metralhas, do Disney...

9 Comments:

Anonymous Serbon said...

apoiado!!!!

e feliz Páscoa, mestre Flávio!

12:51 PM  
Anonymous Anônimo said...

Voto secreto é ótimo! Porque assim, o povo não sabe qual deles faz parte, ou, apoia a bandidagem. Quando esse governo deixou de ser oligarquia? Não lembro de nenhum momento, (posso estar enganada). Será que vivemos mesmo uma democracia? Quando nosso governo foi do povo, para o povo e pelo povo. Essas e outras perguntas que nem sempre consigo calar, ainda não encontrei respostas, se alguém souber explicar, vou agradecer bastante.
Feliz Páscoa para todos que fazem parte da familia "Opiniaum".

2:05 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, obrigado! Pelo apoio e pelos votos, que retribuo de coração. Feliz Páscoa, amigo... e muita força, para tocar o nosso "Livro"! :)

11:01 PM  
Blogger Flávio said...

anônimo, pois é: é ótimo... pra eles! E o pior é que a mamata vem desde o início! Mas... deixe-me esquecer estas coisas por um instante, para lhe desejar uma Feliz Páscoa! :)

11:04 PM  
Anonymous Rappha said...

Belo texto, professor. Mas já não tinha sido publicado no AZ3?

9:48 AM  
Blogger Flávio said...

Rappha, este é o problema de ter leitores fiéis... a gente não pode se repetir! :) Falando sério,tinha sim, coisa bem parecida; como, aliás, em algumas revistas e jornais. Mas toda vez que a doença se repete, acho que devemos repetir a receita! :)

6:37 PM  
Anonymous Júnior said...

Flávio, eu sou mais otimista que você. Mas concordo que esse voto secreto é uma tremenda sacanagem.

10:44 PM  
Blogger Flávio said...

Júnior, taí duas coisas em que concordamos. Mas ainda acho que o seu otimismo é natural, na idade... ;)

10:38 AM  
Anonymous Anônimo said...

A Constituição de 1937, pelo que sabemos foi a mais antidemocrática de nossa História. Nesta Constituição o voto dos parlamentares era aberto, e nominal, se fosse para anular um veto do Executivo.
Quem tem mais força de pressionar os parlamentares, o povo ou o Poder Executivo? Devemos refletir sobre isso.
Agnélo Lins.

6:55 PM  

Postar um comentário

<< Home