3.21.2006

UMA DECISÃO HEDIONDA


Eu já havia visto a notícia na TV, mas não pensei que o absurdo fosse adiante. Agora, segundo o Bombástico de domingo passado, a coisa se complicou.

Resumindo: um pastor (que, pelo visto, usa mais o cajado que a Bíblia), condenado por abusar de três meninas, recorreu ao STF e conseguiu a redução da pena: vai cumprir o restante em regime semi-aberto, ou seja, fica livre durante o dia e só volta à prisão para dormir.

Mais meninas serão estupradas, sem dúvida. Mas não pára por aí: com base nessa decisão, alguns milhares de condenados por “crimes hediondos” também estarão de volta às ruas em breve. Inclusive o médico que dopou e estuprou 14 meninos, em seu próprio consultório, sem direito a rancho, parquinho ou zoológico.

Ora, façam-me o favor! De que adianta, então, a classificação de “crime hediondo”? Não passa de um jogo de palavras... como aquele que transforma o ESTUPRO em “atentado violento ao pudor”. Dito assim, não parece uma coisa bem mais suave? Mas só sabe quanto dói um estupro quem já o sofreu; nós, que graças a Deus fomos poupados, apenas podemos imaginar.

Atentado violento ao pudor é o cacete! Ou melhor: é uma decisão idiota dessas, vindo do mais elevado tribunal do país! O mesmo tribunal, aliás, que tem impedido a quebra de sigilos bancários, ou a liberação de depoimentos, acobertando a corrupção; que, se não me falha a memória, é outro dos crimes classificados como “hediondos”.

Há poucas coisas em que sou radical, mas esta é uma delas. Posso entender que alguém roube, levado pela fome; entendo até que alguém mate, em um momento de raiva ou desespero. Mas não vejo qualquer justificativa para o estupro, que atinge uma vítima inocente e deixa seqüelas para o resto da vida.

Pior, ainda, quando é um estuprador em série, como esse pastor ou esse médico, e outros que serão beneficiados pela condescendência dos meritíssimos; a grande prejudicada, como sempre, é a sociedade. Somos nós, que criamos nossos filhos e filhas com todo carinho, e agora os vemos expostos a esses criminosos liberados pelos juízes.

E não me venham dizer que é doença. Talvez até seja; mas, se for, com certeza é o caso de uma bela eutanásia. Permitir que esses indivíduos vivam na comunidade, é como dizer que o lobo, por também ser animal, tem o direito de permanecer entre as ovelhas.

Por mim, um cara desses não seria nem preso; seria morto, mesmo, na hora. É melhor que o governo gaste o nosso dinheiro alimentando os animais, nos zoológicos, do que sustentando essas bestas humanas.

Mas, se eles tiverem que viver, que ao menos vivam segregados, na cadeia, disputando os próprios rabos; há nisto uma espécie de justiça. O estupro é mesmo um crime hediondo.

Quase tão hediondo quanto uma decisão desse tipo!

8 Comments:

Anonymous Lourdinha said...

Porque não foi com ninguém deles. Se fosse, o pastor iria virar comida de urubu!!!!!
Quando se comete esse tipo de crime com pobres, infelizmente, as meninas pobres são as culpadas.
E um infeliz desse ainda vive pregando a Palavra de Cristo por onde anda!
Isso é mais hediondo ainda!!!!!!!

1:48 AM  
Anonymous Serbon said...

a frase do 'usar mais o cajado que a Biblia' tá ótima...heheheheheheheh!!!!!!

7:01 PM  
Anonymous Anônimo said...

É surpreendente como existem fatos, ainda que conhecidos, que nos pegam de surpresa e nos abate psicologicamente, quando chega a um ponto, de não termos mais como fazer de contas que não existe. É o nosso instinto de preservação, ou (mecanismo de defesa), responsável por esses lapsos de memória.
No caso em questão, assistimos atônitos a todos os desmandos que acontecem na nossa justiça, (justiça?). Imagine só; com todo rigor, esses fatos aberrantes já aconteciam, imagina agora? Dá pra se imaginar: quais seriam os “manda chuva”, por trás disso, que por suas culpas, já legislam em defesa própria?

9:56 AM  
Blogger Flávio said...

Lourdinha, mais ou menos por aí. Confesso o hediondo pecado de ter pensado que seria interessante se o fato tivesse acontecido com a doce filhinha de um dos nossos supremos togados. Mas é aquela história: as "otoridades" vivem longe do nosso universo comum...

7:52 PM  
Blogger Flávio said...

Serbom, ainda bem que vc gostou; também achei legal. Mas, sem trocadilhos, Deus nos mantenha (e aos nossos) longe do cajado desse cara, viu? :)

7:53 PM  
Blogger Flávio said...

Pois é, anônimo: o ponto é este mesmo. Quando o maior tribunal do país endossa a impunidade, a violência e a corrupção, a quem vamos recorrer? :(

7:56 PM  
Anonymous Serbon said...

http://oposicaonoparedao.blogspot.com

mestre Flavio, deveras interessante este sitezinho. muita coisa ali posso lhe garantir que é vero.

8:33 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, tks. Vou dar uma espiada no site, sim, mas desde já gostei do nome; pela burrice que mostra, boa parte da oposição brasileira deveria, mesmo, estar no paredão! :)

8:02 PM  

Postar um comentário

<< Home