3.14.2006

O TRIBUNAL DAS RAPOSAS


Leio, no Mundo Símio, mais um belo artigo de Dom Gustavo, comentando a absolvição do Professor Luizinho pelos seus colegas deputados, apesar de estar mais do que provado que a didática excelência recebeu uma grana do Marcos Valério.

A indignação do nobre amigo é mais do que justa, e a ela me associo inteiramente; quanto mais que a defesa do ilustre parlamentar careceu de qualquer fundamento ou lógica, mais parecendo o refrão do nosso atual (e provavelmente futuro) Presidente Lula: “Não vi, não sei”.

A indignação é justa, repito; mesmo porque o dinheiro que o governo distribuiu, com tanta liberalidade, saiu do nosso bolso. Mas preciso dizer que estas absolvições não são nenhuma novidade; eu já havia cantado esta pedra aqui no blog, desde o ano passado.

A lógica é simples: nenhum tribunal de raposas vai condenar aquela que foi apanhada saindo do galinheiro; até por uma questão de autopreservação. A não ser, é claro, que o fazendeiro esteja de arma engatilhada e olho fixo nos espertos juízes.

Explico: quando o mensalão e o surubão estouraram, tornaram-se pratos favoritos da mídia, com cobertura diária e detalhada. Foi aquela fase em que as sessões das CPIs eram televisionadas e atingiam picos de audiência, com cada parlamentar se esforçando mais do que os outros, para mostrar decência e severidade com os acusados.

Foi a fase da caça às bruxas. Naquele período, quem foi apanhado dançou; inclusive o antes todo-poderoso Zé Dirceu. Escreveu-se mais uma épica página da História do Brasil, com dinheiro em cuecas, grana sagrada viajando de avião, etc. e tal. Foi quando se descobriu que no Brasil circula mais dinheiro pelos ares, do que nas transferências bancárias. Cubano, inclusive.

Mas, depois, veio o recesso parlamentar. A mídia mudou o foco dos holofotes e a opinião pública se desviou do assunto; os trabalhos nas CPIs deixaram de render votos. O próprio Lula assinou alguns pacotes eleitoreiros e tornou a subir nas pesquisas. Tudo voltou a ser como dantes, no quartel de Abrantes.

Sem vigilância, as excelências sentem-se à vontade para absolver os seus pares. Atrevo-me, mesmo, a dizer que daqui pra frente só seria condenado o parlamentar que tivesse assinado um recibo, nos seguintes termos: “Recebi, de Marcos Valério, a quantia acima mencionada, pelo mensalão do mês tal”; e, mesmo assim, se não contestasse a assinatura.

Assim, as absolvições não me surpreendem. Isto é Brasil. A terra da Mãe Joana. O lugar onde se pára um avião na pista e se tiram dois passageiros, para que um general e a esposa possam embarcar; onde o exército precisa invadir favelas, para recuperar armas roubadas dos quartéis; onde baderneiros invadem fazendas de cidadãos, com o beneplácito do governo. Onde os deputados trepam e a gente paga.

Já nem sei mais se o mensalão acabou mesmo. Mas, confesso, espero que o surubão ainda continue. Se as excelências tiverem putas pra comer de graça, talvez aliviem um pouco os nossos rabos...

8 Comments:

Anonymous Serbon Pangloss said...

mestre Flavio, quanta amargura! veja o lado bom das coisas.
pelo menos os deputados estão indo a julgamento por seus pares!!!se são absolvidos é porque são inocentes, né? eu acredito no João Paulo, no Roberto Brant e no professor Luizinho!
vivemos no melhor dos mundos possíveis! (só não sei se estou sendo otimista ou pessimista...)

11:35 AM  
Blogger Flávio said...

Serbon, desculpe, mas eu acho que vc não tá sendo nem um nem outro... tá mais pra gozador! :)Abração pelo niver!

12:05 PM  
Anonymous Anônimo said...

Não me surpreende nada, se um dia, algum político seja condenado por estar em desacordo com os demais colegas. Honestidade nesse quadro está se tornando decadente, ultrapassado...
Nem essas putas eles comem de graça, pelo contrário, são bem pagas e pior, também com o nosso dinheiro. Portanto, deixemos nossos rabos de molho, que ainda vem muita coisa por aí.

6:07 PM  
Blogger Flávio said...

Taí, anônimo, sou forçado a concordar com vc. O problema é que a simples idéia de deixar o rabo de molho já me é sumamente desagradável... ;)

8:54 PM  
Anonymous Serbon Pollyanna said...

veja mestre Flavio... tem mais gente escapando do indiciamento!!! eles são inocentes! viva a democracia!!!!

7:01 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, ah, tá! Pra pensar assim... só a Pollyana, mesmo! :)

11:00 PM  
Anonymous Lourdinha said...

... e papai noel existe... e coelhinho da páscoa traz ovo coloridinho pra nós...
Fala sério!
E... tem mais 4 anos pela frente!

8:55 PM  
Blogger Flávio said...

Lourdinha, se o coelhinho da Páscoa traz ovinho colorido, eu não sei... mas que cada Excelência tem dois ovinhos prontos pro povo, isto é certo! :)

4:47 PM  

Postar um comentário

<< Home