2.02.2006

E AÍ, MEU TIO?



O assunto de hoje, para ser politicamente correto, são as pessoas chamadas “de melhor idade”, ou seja: que já passaram dos 60 anos. Este é um dos eufemismos mais ridículos que já ouvi.

Se bem que todo eufemismo é ridículo, mesmo; nada deixa de ser o que é, por ser chamada de um nome diferente. Como disse o poeta: “A flor que chamam rosa, com qualquer outro nome, rosa seria”.

Como se pode chamar de “melhor idade” aquela em que as dores crônicas aparecem, as juntas endurecem e o bilau amolece? Isso, sem falar na falta dos dentes, na fila do INSS e naquela menina que responde a uma cantada com um surpreso e aborrecido: “-Que é isso, meu tio?”.

Melhor idade, o cacete! Ou a bengala, mais apropriada para o tema. Mas não pensem que estou esculhambando; muito pelo contrário, tenho o maior respeito pelos idosos.

Uma pessoa com 60 anos já trabalhou muito; já criou os filhos, já pagou uma nota preta de impostos, já deu a sua contribuição para a comunidade. Merece, portanto, todo o respeito possível e tem direito a regalias.

Acho justíssimo, por exemplo, que um nobre legislador tenha instituído o “passe livre” para os idosos, nos transportes coletivos; afinal, aposentado neste país ganha uma merreca e qualquer ajuda é válida. Mas – e é isto que não entendo – por que o ônus deste passe livre tem que recair sobre os empresários do setor?

Por que o Governo, que recebeu os impostos do cidadão a vida toda, não repassa aos empresários pelo menos parte dessas passagens, ainda que em redução de impostos, como se faz com as doações no Imposto de Renda? O idoso não paga, ninguém paga... e fica por isso mesmo?

Não, não fica! O empresário, que não é besta, repassa esse custo para as passagens normais... e a comunidade leva ferro! Mais uma vez, chimbamos na vara do Governo, que faz cortesia com o chapéu alheio, como naquele (também velho) ditado! Pagamos pelos outros.

Outro ponto discutível é o das filas especiais para os idosos; e este não por culpa do Governo, mas daquela sacanagem natural no brasileiro. A famosa Lei de Gérson, alguém ainda se lembra?

O idoso não paga transporte, nem pega fila. Assim, transformou-se no “boy” dos sonhos de toda empresa: sem o custo do vale-transporte e com economia de tempo. E ainda sem contrato de trabalho, ou seja: sem encargos sociais. Vantagens para o idoso e a empresa. E quem leva o ferro? Nós, outra vez!

Ou você nunca pegou uma daquelas filas bravas, no banco ou na casa lotérica, no fim do mês? Aí, depois de duas horas na fila, vem aquele velhão sarado, parecendo estar em melhor forma do que você, passa na sua frente e entrega para o caixa aquela pilha de contas a pagar, ou aquele bolão de dinheiro pra depósito. E, quando alguém reclama, ele fala de cara feia: “- Sou idoso; tou no meu direito.”

Pior que está, mesmo. E esta é a única hora em que eu sinto raiva do idoso; mal posso esperar chegar aos 60 anos, para devolver a sacanagem em cima de algum inocente mais novo. E ainda sou capaz de deixar o carro em casa e ir de busu, só pra viajar de graça também!

Pior que ainda faltam dois anos. Daqui pra lá, estas leis já podem ter caído. Principalmente se aparecer mais gente reclamando delas, como eu!

15 Comments:

Anonymous Lourdinha said...

Ó céus !!!!!!!!! Já tenho que começar a pensar nisso????
Nããããããããoooooooooo!!!!!!!!! Não quero pensar!!! Não quero!!!!
E você vem com uma relação dessas!!!!!!!
Ó vida !

10:44 AM  
Anonymous Serbon said...

Mestre Flávio, creio que os homens acima de 60 anos merecem todas as homenagens e o conforto que pudermos lhes proporcionar.
Explico: ao chegar nessa idade, o cabra completa 20 anos - sim, duas décadas - passando pelo exame de próstata.
É preciso respeitar essa coragem...
abs!

10:54 AM  
Anonymous Anônimo said...

Flávio apenas um conselho: Não vá de ônibus, mesmo que de graça. Vai se arrepender, pois, nem sempre idosos encontram lugares nos ônibus. Nem sempre as pessoas que sentam nos lugares destinados a eles, se levantam quando os vêm nos ônibus.
Também conheço pessoas que não gostam de serem chamados idosos. Tiram a maior onda de mocinhos conquistadores, mas, que aumentam a idade pra conseguir o passe. Aliás, prática da vantagem em tudo, muito usada em nosso país.
Também a "melhor idade" não entendo bem porquê, mas, bem que eles merecem um lugarzinho especial.

3:28 PM  
Blogger Flávio said...

lourdinha, eu que já tou chegando lá, posso atestar: envelhecer não é mole. Mas, pior ainda, é não envelhecer; pode crer! :)

3:46 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, dou a mão à palmatória: eu tinha esquecido dessa, que é a pior desvantagem; principalmente pra quem tem médico gordo.
Mas acho que esqueci por ato falho: vc acredita que tou com 58... e nunca levei o dedão? Talvez a próstata reclame, mas as pregas agradecem! :)

3:50 PM  
Blogger Flávio said...

anônimo, isso; é a famosa "Lei de Gérson". Tb concordo com vc em que os idosos merecem um lugarzinho especial... eu ainda sou um daqueles que cedem o lugar. :)
Só não concordo é com essa xaropada de "melhor idade"!

3:52 PM  
Anonymous Serbon said...

Mestre Flavio, tem um deputado aí na Bahia, que é guardinha, inclusive, que queria proibir a dedada. Ele disse que viu estrelas? como é o nome do cabra mesmo?

11:18 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, não sabia desse lance, não. Mas, se ele viu estrelas com a dedada, esperemos que opte por continuar como guarda, e não prefira tornar-se astrônomo! ;)

2:19 PM  
Anonymous Serbon said...

Achei a história, mestre Flávio...
copy & paste:
Os deputados da Assembléia Legislativa da Bahia deixaram um pouco a pauta de lado para ouvir o relato, em plenário, do exame de próstata do deputado Sargento Isidório (PT). Eles também se ocuparam debatendo as semifinais do campeonato baiano de 2005. Os eleitores que assistiram à sessão plenária devem ter saído perplexos da Casa e revoltados com os políticos.

Deixe seu comentário sobre o ocorrido
O deputado Isidório, que se elegeu prometendo reduzir o preço do gás de cozinha, em Candeias, abriu os trabalhos relatando em detalhes no microfone do plenário o exame de próstata que fez na manhã de ontem. Ele revelou que, até a tarde, ainda "via estrelas", graças à virulência do médico. "Não é uma questão de machismo. Não se trata disso. Mas está chegando a hora de se buscar outro meio de fazer esse tipo de exame", afirmou o deputado petista.

"Ele chegou e foi logo colocando o dedo", contou aos colegas deputados, fazendo questão de mostrar, com mímica e veemência, o dedo utilizado pelo médico durante o exame de toque. "É um exame angustiante, mas não vou tocar nesse assunto agora porque isso é desmoralizante para um pai de família, principalmente uma pessoa com a minha idade e outros que vêm por aí sofrendo", ressaltou. Médico, o deputado Targino Machado (PMDB), dando prosseguimento ao debate, protestou. "O deputado Isidório está fazendo apologia contra o exame de próstata, que é algo importante". Isso irritou o deputado do PT, informou o jornal Correio do Bahia.

Não satisfeito, o petista voltou ao assunto no microfone do plenário para rebater o pronunciamento do peemedebista. E disse que não é contra o exame, mas sim contra a forma como é feito. "Eu não havia feito, sinto-me uma pessoa enganada. Pensava que era de uma outra maneira. Não sabia do que se tratava, mas da maneira como o médico me tratou, a maneira que foi introduzido aquele dedo, foi horrível! Quase que desmaio! Não aceito! Não estou sendo contra o exame, mas estou dizendo que tem de haver outros métodos. A ciência está aí querendo até fazer gente igual, criando tudo quanto é coisa", disse, para um plenário aos risos.

No total, Isidório fez três pronunciamentos na Casa ontem. E todos para tratar do mesmo assunto: o seu exame de próstata. Tanto que, entre risos, o deputado João Bonfim (sem partido), perguntou a ele se foi mesmo o dedo que o médico usou para fazer o exame de próstata.

5:45 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, meu amigo, eu conheço a peça; aliás, ambas... o Targino tb. Já trabalhei na ALBA. Mas, confesso, é a primeira vez que vejo alguém fazer questão de divulgar que disponibilizou o traseiro! :)
O médico merece todo meu respeito; é um prazer saber que fizeram com um deputado o que eles fazem com a gente. Agora, qt ao ilustre parlamentar... tinha que ser do PT! :)

6:14 PM  
Anonymous Serbon said...

conclusão: os debates lá na Assembléia são de alto nível, né não???

9:39 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, não são mesmo. O assunto, aliás, foi bem digno do cenário. Mas o melhor foi que o seu comentário me rendeu um novo post. Obrigado! ;)

10:07 PM  
Anonymous Dom Gustavo said...

"Melhor idade" que o caralho. Podes crer, Mestre Flávio. Como diz uma amiga da minha mãe, em velho só falta nascer rabo. Vá o jovem ao Baile da Terceira (ops, da Melhor) Idade e pergunte aos velhotes se eles acham melhor ser jovem ou velho. "Mais sabedoria" é desculpa esfarrapada de idoso mentiroso. Qualquer homem sensato prefere ser potente e idiota a ser sábio e broxa.

3:18 PM  
Blogger Flávio said...

Dom Gustavo, mais uma vez louvo e ecôo os seus argumentos. É até uma sorte que não nasça rabo... ia complicar as hemorróidas! :)

6:27 PM  
Anonymous Anônimo said...

Bush is forever saying that democracies do not invade other countries and start wars. Well, he did just that. He invaded Iraq, started a war, and killed people. What do you think? What is he doing to us, and what is he doing to the world?
Are we safer today than we were before?
We have lost friends and influenced no one. No wonder most of the world thinks we suck. Thanks to what george bush has done to our country during the past three years, we do!

8:25 PM  

Postar um comentário

<< Home