7.21.2007

E AGORA, BAHIA?

Ele poderia ter sido um personagem de Jorge Amado. Ou, como foi, alguém que existiu na vida real.

Só não o imagino em outro lugar que não fosse a Bahia. Descendo as suas ladeiras, respirando o seu ar, curtindo o seu sol e o seu calor. Enriquecendo o seu folclore.

Só alguém tão baiano, poderia viver com tanta intensidade. Amar tanto, odiar tanto, enganar tanto. Lutar tanto, pela terra onde nasceu; e, ao mesmo tempo, em seu próprio benefício. Vestir branco na sexta-feira, abraçar padres e pais-de-santo; conviver com pobres e poderosos, amando e odiando a todos, ao sabor de seus interesses.

Ele foi o Vadinho, da Dona Flor, na sua amoralidade e luxúria; no seu desprezo infantil, por tudo que não fosse ele mesmo. E foi os coronéis do cacau, no seu apego ao poder. E foi também Pedro Arcanjo, na defesa da verdadeira Bahia.

Agora, ele se foi. E a Bahia se divide, entre prantear o seu maior filho, ou execrar o maior filho da puta que um dia pisou o seu solo. Entre os que choram por ele, as críticas são feitas à boca pequena; e, entre os que dizem odiá-lo, uma lágrima teimosa insiste em rolar às ocultas.

Ele se foi. E continua presente. Já não percorre as ruas da Bahia, mas jamais deixará a sua história; já não grita na tribuna, mas a sua voz continua a fazer-se ouvir, no vento que assovia entre os coqueiros.

Ele jamais foi um santo. Mas, talvez, hoje exista um novo orixá, a zelar pela Bahia...

14 Comments:

Blogger Escorpiana Explosiva said...

Olâ passei pra desejkar bom fds e um feliz dia dos amigos.

3:01 PM  
Anonymous Bia said...

Fazendo uma pesquisa na net tive o prazer de vir parar aqui no teu espaço. Tens uma maneira própria de postar, com artigos contendo preciosas informações, um leve e inteligente toque de humor, uma forma delicada de se dirigir ao teu público e um jeito próprio e muito sensível de falar sobre a vida, relacionamentos, cotidiano.

Gostei muito da mensagem onde falas das relações virtuais e divides teu prêmio com os amigos. Percebe-se em ti uma personalidade marcante dentro de uma alma sensível e generosa.

Desculpe ter invadido assim o teu espaço e feito este comentário, mas acredite, fui movida pela melhor das intenções, e ainda te culpo por ter assim procedido... rss. Quem manda inundar de carinho, bom gosto e inteligência este teu espaço? Faz-nos ficar cativos de tuas palavras.

Faltou muito ainda para ler, por isso voltarei outras vezes se não te for incomodar.

Deixo-te um abraço nos votos de uma semana de paz e alegrias.

11:50 PM  
Blogger Flávio said...

Brigadão, Cris! Sabe que vc é sempre bem-vinda, né? :) Bjs, bom fds

12:37 AM  
Blogger Flávio said...

Bia, grato pela gentileza e saiba que achei muito bonito o seu blog. Quanto a este espaço, é nosso; volte sempre, sim... será um prazer recebê-la! Grande abraço e uma boa semana para vc.

12:40 AM  
Blogger SACANITAS said...

morte sempre eh triste. :/

beijooooo

12:57 PM  
Blogger Josse said...

Oi Flávio, muito inteligente sua forma de tratar esta notícia. Que sejam feitas então as contas do que se perdeu ou se ganhou.
Beijos e bons desejos a você sempre.

11:17 AM  
Blogger Flávio said...

Oi, sumida Sacanita! ;) Bom ver vc de volta, viu? Bjs

2:20 PM  
Blogger Flávio said...

Josse, a idéia é boa, mas não dá. Não dá pra se fazer as contas de sentimentos... ;) Bjs

2:21 PM  
Blogger Claudinha said...

Olá Flávio, a Bahia perdeu um grande protetor, que nunca foi santo mesmo, mas a amou imensamente e isto é fato. Nunca fui fã dele, mas respeito o respeito que os outros têm por ele.
Sobre a minha história, todas as memórias de borboleta são histórias verdadeiras de Claudinha.
Beijo!

2:31 PM  
Blogger Flávio said...

Muitas (e boas) histórias, né, Claudinha? :) Bjs

9:30 AM  
Blogger Josse said...

Realmente Flávio, sentimento não se conta, o coração é que sente. Cada pessoa tem o seu valor: grande para alguns, pequenos para outros. Mas há que se valer o que fica pra história.
Beijos e bom desejos para o findi semana.

9:43 AM  
Anonymous Bia said...

Estive garimpando mais algumas leituras, e me deliciando com a verdade exposta nos teus artigos. Lá pelos meados de abril/05 deparei-me com "A FALÊNCIA DA ESPERANÇA" e impressionou-me como, após dois anos, o nosso presidente continua a suscitar a mesma opinião. Uma pena para nós brasileiros que vimos o sonho acabar pouco a pouco.

Deixo um abraço e os votos de um final de semana de alegria e paz.

9:14 PM  
Blogger Flávio said...

Josse, é isso que penso, sim. cada um de nós tem o seu valor... e precisamos acreditar nisso! ;) Bjs, bom fds

1:00 AM  
Blogger Flávio said...

Bia, obrigado pelo cuidado da leitura e pela sua gentileza, viu? Qt ao Lula... eu mesmo fui um dos desiludidos: e o pior é que vc tem razão: nada mudou! :( Abração e bom fds

1:02 AM  

Postar um comentário

<< Home