6.07.2006

A INVASÃO DO CONGRESSO

Há pouco tempo fiz um post sobre os sem-terra, condenando a baderna organizada em que se transformou o movimento e a conivência das autoridades com essa esculhambação, vocês se lembram?

Pois é... não é?

Por todos estes anos, temos visto os sem-terra ocupando fazendas alheias, agredindo colonos e destruindo benfeitorias; ferindo pessoas e causando prejuízos, sem serem presos. Presos iam os policiais, ou proprietários, que revidavam com a força, para impedir as invasões.

Agora, só por uma badernazinha de poucas horas, quase 600 deles foram em cana (bem merecida, aliás!). Para os nossos políticos, a invasão das fazendas dos outros era a democracia; a invasão do Congresso é um atentado à democracia.


Vai entender, né? Pra mim, invasão (violenta, principalmente) é tudo a mesma coisa!

Mais: o Jornal Nacional mostrou uma fita de vídeo, que comprova o detalhado planejamento da operação e ainda o seu objetivo: mostrar ao Brasil como eles querem que seja feita a Reforma Agrária, nas palavras de um dos organizadores. É mole?

E, apesar da prova cabal que é a fita, o chefe maior, o Maranhão, continua dizendo que nada foi planejado, que não sabia de nada; assim como o Lula, sobre o mensalão e escândalos afins. Engraçada, esta epidemia de ignorância que assola os militantes do PT! Os chefes são exatamente os que menos sabem.

Parece que estamos assistindo ao surgimento de uma nova mentalidade, segundo a qual alegar ignorância exime o culpado da responsabilidade. Algo assim como se Suzane Richtofen fosse inocentada, por alegar que não sabia que os pais morreriam, sob as porradas da barra de ferro.

Se a moda pega, logo não teremos mais culpados... só ignorantes. Mas isto é assunto para outro post.

Neste, quero apenas hipotecar aos sem-terra todo o meu apoio pela invasão do Congresso, que deixou um prejuízo de apenas R$ 158.000,00 (nada que nossos impostos não cubram!) e pelo menos um inocente funcionário da Câmara na UTI, além dos feridos.

Parabéns, senhores! Finalmente vocês invadiram o lugar certo! Agora, que as nossas excelências estão revoltadas, talvez o governo tire o demagógico boné do movimento e tente contornar a anarquia em que se transformou.

Parabéns pelas edificantes imagens de computadores depredados, portas arrebentadas, carro virado, pessoas agredidas. Parabéns pelo entusiasmo com que se dedicaram a esses atos louváveis, brindando-nos com inesquecíveis momentos de sua atuação, que antes as excelências chamavam de “autenticamente democrata”.

Democracia, o cacete! Sem-terra no rabo dos outros é refresco!

11 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Assino embaixo de tudo que foi dito. É revoltante tudo que vem acontecendo, inclusive fazendo-nos de idiotas, (mais uma vez), com esses repetidos e abusivos lapsos de memórias, que tem contaminado cada vez mais pessoas. Memórias seletivas, conforme interesses.
Ta difícil acreditar. Mas esse vai ser o ano em que tudo vai acontecer na política. Já até imagino quando começar a baixaria na TV.

8:51 AM  
Anonymous Serbon said...

assustador.
porque se fosse uma coisa 'de momento', como alegou o Maranhão, um sem-terra bem sucedido na vida, com apartamento a beira-mar, como ele explica o vídeo com todo o planejamento da ação? e o que eles pretendem com isso? porque puseram o Aldo Rebelo numa sinuca de bico, ele teria que chamar a polícia para intervir. quem salvou o velho comunista de 'manchar' a biografia com tal ato acabou sendo o Joaquim Roriz, que mandou a tropa de choque para lá.
esta é uma dissidência do MST. o movimento original tem inspiração maoísta, quer começar uma revolução no campo. a reforma agrária é só um pretexto. falta o MLST dizer para que veio.
e ingênua, para não dizer outra coisa, a Luciana Genro. foi se manifestar imediatamente, dizendo que era algo espontâneo, o povo não aguenta mais. mas aí vem o vídeo e a constatação que foi premeditado. e agora?

10:06 AM  
Blogger Flávio said...

anônimo, faça um favor a vc mesmo: não imagine. Vamos precisar de toda paciencia, pra aturar depois de iniciada! :)

11:11 AM  
Blogger Flávio said...

Assustador, Serbon; vc usou a palavra certa. Um verdadeiro ato criminoso, muito bem planejado e realizado; algo assim como a recente ofensiva do PCC, em São Paulo. Não há muita diferença. Qt à Luciana Genro, parece que nossos políticos estaão entre a ingenuidade e a amnésia... ;)

11:24 AM  
Anonymous Rappha said...

Professor, como disse minha avó, quando viu passar no jornal: fim de mundo, fim de mundo...

12:06 PM  
Blogger Flávio said...

Rappha, a minha tb dizia isso... e devia ser bem mais velha. O consolo é que, apesar de todas as merdas que o homem faz, o mundão velho continua aí, firme e forte! :)

9:31 PM  
Blogger Flávio said...

Depois que fiz este post, assisti ontem ao Jornal do SBT e o âncora chamou a atenção para um detalhe importante: em nenhum momento da reunião dos sem-terra, se falou de qualquer coisa ligada ao campo; apenas se planejou a invasão da Câmara. Algo assim, como uma quadrilha planejando um assalto a banco. Assustador, como bem disse o Serbon!

9:33 PM  
Anonymous Júnior said...

Flávio, é verdade. Eu também notei a semelhança entre a organização do PCC e do MLST. Parece que vivemos em um país entregue ao crime organizado.

11:38 AM  
Blogger Flávio said...

Júnior, é uma das coisas que preocupa. O governo permitiu ao crime organizado evoluir até o ponto em que se encontra. Até que ponto irá a evolução de MLST, MST e afins?

3:13 PM  
Anonymous Vanessa said...

“Se a moda pega, logo não teremos mais culpados... só ignorantes.”
Excelente frase, Flavio! Uma daquelas que a gente deve usar muitas vezes, infelizmente.

Quanto ao assunto em si, vou um pouco na contramão do que foi dito por aqui. A cobertura da imprensa em relação às ações do MST nunca é minimamente imparcial. A critica ao movimento sempre é mais contundente que aquela direcionada aos fazendeiros e a polícia. Tendo a relativizar um pouco a leitura que rola por aí das ações do MST.

Sem falar que muitos líderes sem-terra estão com vários processos nas costas e prisões decretadas, coisa que não estou segura aconteça com muita freqüência com os fazendeiros e seus asseclas (exceto aquelas para inglês ver, na frente das câmeras), mesmo eles usando armas de fogo e táticas bastante agressivas para reprimir as ações dos sem-terra (e contando com uma polícia igualmente truculenta).

O que aconteceu no Congresso foi realmente o fim-da-picada. E como disse antes, só serviu para dar mais munição a essa cobertura tendenciosa da mídia. O que mais se ouviu por aí foram “baderna” e “baderneiro”, tirando qualquer conteúdo político da ação. Sepultura que eles mesmos cavaram, não se pode negar. Afinal, por mais que os líderes do MLST tentem se justificar, não convencem ninguém. E nem poderiam.

Entretanto, acho que no frigir dos ovos, não há inocentes de nenhum lado. Porque neste caso específico, tampouco se justificam as prisões de idosos e, principalmente, de crianças e adolescentes. Isso também é crime. Taí o Estatuto da Criança e do Adolescente que não me deixa mentir.

Mesmo com o estreitamento da violência em algumas ações do MST, não consigo pensar nos fazendeiros como vítimas dos “violentos invasores de terra”. A situação é bem mais complexa, a gente sabe. E também uma forma de violência.

Acho que o tema pouco avançou ao longo do tempo. Aliás, só o que mudou foram as ações do MST, que estão ficando cada vez mais agressivas. Nisso eu concordo totalmente com você.

No entanto, não sei se poderíamos descontextualizá-las da historia da reforma agrária no Brasil.

Abracos,
Vanessa

3:08 AM  
Blogger Flávio said...

Van, vc demorou pra topar o desafio... mas o fez com brilhantismo! :) Parabéns! Concordo com vc em algumas coisas, principalmente em que "não há inocentes de nenhum lado", se enetendidos apenas como "latifundiários" e "miseráveis"; mas há um terceiro lado, o povo, que neste caso é inocente... e é sempre esse lado que paga (mos) a conta da violência. Eu continuo simpático à idéia da reforma agrária, mas acho que o atual caminho desses movimentos já não tenta levar a ela, mas sim a uma revolução pura e simples, como assinalou o Serbon. Se a ocupação do Congresso foi violenta daquele jeito... imaginemos como não é a das fazendas!!!! :(

9:48 AM  

Postar um comentário

<< Home