12.13.2006

PERIGO! TEMA POLÊMICO!

Lembram do caseiro que há dois anos estuprou uma menina em Brasília, matou-a e enterrou o corpo na própria casa, onde permaneceu convivendo com a família? Pois é: fala-se em reduzir a pena dele. Eu, que conheço a família, vejo quanto sofrem até hoje; a vida deles nunca mais será a mesma.

A Suzane Richtofen, aquela que matou os pais a porradas, poderá ser solta no início do ano que vem. Bem como o Champinha, aquele que estuprou, torturou e matou um casal de adolescentes; este, se não for solto, ficará em tratamento psiquiátrico, com três refeições por dia. À nossa custa.

Segundo mensagem que recebi da Laura, aquele médico pediatra que dopava e estuprava os seus jovens pacientes também poderá ser solto. O que será que ele vai fazer em liberdade, hein? O que todos eles farão?

Recentemente, depois de um assalto (bem sucedido), os marginais prenderam as vítimas em um automóvel e o incendiaram. Morreram queimados o pai, a mãe e o filho de 5 anos.

E há algum tempo, eu quase fui linchado em um blog, por causa de um comentário defendendo a pena de morte em certos casos. Fui ofendido e tratado com grosseria e prepotência, por ativistas.

Eles dizem que estão defendendo os direitos humanos.

Então, tá!...

37 Comments:

Anonymous cilene said...

Nao sei se sou a favor da pena de morte , Flavio, especialmente no Brasil, onde so ladrao de galinha ou de manteiga pagam caro..mas essas lei brasileiras que premia o bandido nao podem continuar existindo...uma lastima meu amigo

12:57 PM  
Anonymous junior said...

Flávio, esse país é uma pocilga, é sim.
Quanto a esse ultimo crime, sinto que os bandidos tenham “reagido a prisão”, legitimando uma “troca de tiros” com a polícia. Ahh execução sumária funciona bem só em flagrante delito né, pena.

1:19 PM  
Blogger Tina said...

É Flávio, infelizmente o Judiciário deste país é um desastre. Lamentável.

beijos querido,

1:36 PM  
Blogger Flávio said...

Cilene, concordo com vc que existe o risco; mas acho que o benefício compensa o custo. Pensemos no assunto, não é? ;)

2:49 PM  
Blogger Flávio said...

Júnior, se eu fosse delegado, acredito que essas "reações à prisão" aumentariam muito... pelo menos, na minha jurisdição. Confesso.

2:50 PM  
Blogger Flávio said...

Tina, talvez o maior dos desastres... até pq incentiva muitos outros! :( Bjs

2:52 PM  
Blogger Rita Contreiras said...

Não sou a favor da pena de morte por convicções espirituais que tenho, mas acho que há outras formas de se fazer justiça, proteger a coletividade e dar oportunidades de recuperação ou, quando não for possível nessa vida,fazer com que essas pessoas produzam, sejam utéis, ainda que contra a vontade, sem consciência mesmo, pois não falta o que fazer nesse país e eles precisam se sustentar e não a população. Acredito que estão num nível pior que eles as nossas autoridades que decidem o fim de tais pessoas. Lamentável...Tô escrevendo pra vc, mas ainda não deu pra atualizar o blog. Dias difíceis...! Um abraço carinhoso. Quando der me dá notícias suas, da sua saúde. Fiquei preocupada. Bjs.

3:31 PM  
Anonymous Dono do Bar said...

E aquela mulher que roubou um pote de margarina? Parece que foi condenada. É até engraçado falar de justiça em um país de injustiças(todas elas). Infelizemte, um prisioneiro custa muito caro para os cofres do Governo e até isso é um fator a ser considerado. Sem falar nas nossas leis, incrivelmente feitas para beneficiar o infrator. Ninguém está seguro, velho.

Abraços.

DB.

7:58 PM  
Anonymous Olhos de Mel said...

Flávio, não sei se sou a favor da pena de morte, até porque os pequenos que roubam uma lata de leite,pagariam no lugar dos "grandes ladrões", mas acredito que é preciso que tudo isso seja revisto, o mais rápido possível. Estamos num clima insuportável de violência e esses relaxamentos, só beneficiam e de certa forma incentivam a criminalidade, pela impunidade.
Bjs.

8:19 PM  
Blogger Flávio said...

Rita, eu tb sou de formação espírita... mas, infelizmente, acho que esta pena se tornou uma necessidade material. Gostaria que assim não fosse. Qto à saúde, eu estou bem, sim, graças a Deus! Obrigado, bjs

10:35 PM  
Blogger Flávio said...

DB, amigo, pois é. Algo precisa ser feito; ou, em breve, nós, os cidadãos de bem, teremos medo de sair às ruas. Abração, mano.

10:37 PM  
Blogger Flávio said...

Olhos doces, é como eu disse à Cilene: penso que o benefício compensa o risco. Além disto, talvez uma pena mais séria trouxesse maior seriedade ao judiciário, quem sabe? Bjs

10:38 PM  
Anonymous Flavia Sereia said...

Esse povo defende os direitos humanos de quem? das vitimas ou dos bandidos?
Do mesmo modo que os bandidos tem bons advoagdos, e até politicos no planalto para votar leis que os favoreçam, vai ver esses direitos humanos deve é fazer parte de organização criminosa, pois veja, a policia mata bandido, espanca e etc, os direitos humanos vem correndo protestar, quando é o bandido que mata, estupra, taca fogo e etc o pessoal dos direitos humanos somem, não aparecem, não dão as caras. E depois do que foi noticiado esses dias do montante de dinheiro que as organizações criminosas arrecadam eu não duvido de nada viu!!

bjs

1:01 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Direitos de quem? :(
Quanta tristeza saber que a impunidade ronda por aí se fazendo mais forte que as vidas que foram arrancadas com ódio.
lindo dia querido
beijossssssss

11:34 AM  
Anonymous Serbon said...

pena de morte é uma barbaridade. não resolve o problema da criminalidade. pode procurar as estaísticas em qq país que adota a pena capital.a não ser que sacie o sentimento de vingança.além disso, não é fácil aplicá-la. o condenado passa anos no corredor da morte, até esgotar todos os recursos. e vai continuar comendo à custa do contribuinte. sem contar com a possibilidade de um erro grande. e a execução de um inocente é desastrosa pra credibilidade das instituições.
o que precisa é uma boa reforma no Poder Judiciário e no Código Penal. derrubar essa história do cara não cumprir mais de 30 anos. perpétua é perpétua.
bandido perigoso deve ser isolado. bandidos médios devem cumprir pena com rigor e com trabalhos dentro da prisão.
gente que cometeu pequeno delito deve ir pro sistema de penas alternativas. e pro caso da coitada que roubou um pote de margarina, é o chamado roubo famélico. se não me engano, há até um consenso - não sei se chega a jurisprudência - em absolver a infeliz em casos assim.

4:54 PM  
Blogger luma said...

As nossas leis são boas, mas não são bem aplicadas. O certo seria o bandido ficar preso e cumprir a sua pena integralmente. O Estado é conivente com as reduções justamente por ser oneroso à ele manter um preso dentro da cadeia.
O marginal já comete o crime sabendo que ficará pouco tempo preso.

Flávio, um assunto nada a ver com o post.
Eu sou mineirinha desconfiada.
Sobre o marginal que sabe que ficará pouco tempo na cadeia...
Não acha estranho, o assalto descoberto pelo sistema de segurança na casa de um empresário que estava na Alemanha??
(...) Ele precisava divulgar o seu produto. Oras, o sistema de segurança foi montado pela empresa dele!!
Muita coincidência. Qual a sua opinião?

Beijus

5:14 PM  
Blogger Flávio said...

Xareá, em todas as vezes que eu vi, estavam defendendo os bandidos; das vítimas, ninguém fala. E essa sua tese é interessante, sabia? Impossível não é... Bjs

6:00 PM  
Blogger Flávio said...

Esse é o problema, Clarinha. Se não tivermos uma pena à altura do crime, a impunidade continuará. E cada vez mais as bestas humanas se sentirão à vontade, para saciar em nós os seus baixos instintos. :( Bjs

6:14 PM  
Blogger Flávio said...

Mano Serbon, discordamos parcialmente: eu acho que a pena de morte é uma pena severa; barbaridades, vc vai ver se clicar nos links que coloquei para os crimes dessas bestas que se dizem "humanos".
Em todos esses casos, a culpa está comprovada e confessada; por que não arrancar essas ervas daninhas, deixando o mundo um pouco melhor e mais seguro? Não vejo porquê.
Qt às penas alternativas para delitos leves, inclusive a absolvição (e até um emprego) para quem rouba por fome, estamos totalmente de acordo! :) Abraço grande, não suma! ;)

6:21 PM  
Blogger Flávio said...

Luma, eu defendo a pena de morte não como vingança, mas como forma de proteger a sociedade de monstros como os que citei no post, entende? Acho que mantê-los na cadeia é correr um risco desnecessário... sempre podem fugir. Qt ao lance do empresário, eu não sabia que a empresa é dele... muita coincidência, realmente! ;) Bjs

6:24 PM  
Anonymous Serbon said...

Flavio, não é culpa minha! o Blogger está há três dias assim... já perguntei lá, eles dizem que ha uma instabilidade nos servidores, "mas que vai ser resolvida nesta tarde".
já se passaram 3 tardes...
enfim...

6:26 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, embora seja uma puta sacanagem deles, eu não daria a pena de morte por isso... mesmo pq vc é contra! ;) Abração, mano; tou torcendo pra voltar logo...

6:36 PM  
Anonymous Marconi Leal said...

O problema da pena de morte, Flávio, é que você não tem como corrigir o erro de um processo equivocado. Nos Estados Unidos, já aconteceram dezenas de casos em que um inocente foi morto. E aí? Como é que se vai reparar o erro? Imagina no Brasil, com o Judiciário que temos! Aí, sim, aconteceria um verdadeiro holocausto. De pobres, que não têm dinheiro para pagar advogados e acabam nas mãos de incompetentes defensores públicos. Quando há defensores públicos, coisa rara. Abração.

6:41 PM  
Blogger Flávio said...

Marconi, concordo com o argumento de que um eventual erro seria irreversível. Esse, aliás, é um bom argumento!
Mas veja bem, amigo: sugiro a sua aplicação apenas em determinados casos, como os que citei no blog: crimes hediondos, provados além de qualquer dúvida. Ou seja: sem margem de erro, entende? Abraço grande.

6:59 PM  
Anonymous Serbon said...

pois é, mas quem vai definir o que é uma sentença definida sem margem de erro? há dezenas e dezenas de casos nos EUA. lembre que quando o DNA começou a ser usado como prova, vários casos foram revisados.
e monstros como estes de Bragança têm que amargar cadeia brava pelo resto da vida. morrer é um alívio para eles. matou, acabou. a dor das famílias permanece.
além disso, o meliante já mata com medo de ser reconhecido e logra êxito ao empreender fuga(hehehehe -linguagem de tira), imagina com a possibilidade da injeção letal ou do enforcamento?

7:11 PM  
Blogger Ricardo Rayol said...

Flavio o pai da menina foi meu professor no marista. E quem liderou a equipe de policiais que foi busca-lo na toca em que se meteu é amigo de infancia e que tambem foi aluno dele. Tenho certeza que não vai ficar barato.

8:08 PM  
Blogger Ricardo Rayol said...

A proposito... você é ex-marista?

8:09 PM  
Blogger Flávio said...

Serbon, sem margem de erro é com culpa provada acima de qualquer dúvida: por exemplo, os casos que eu citei no post. Mas concordo que é difícil definir e até mesmo não generalizar.
E uma parte cruel de mim até concorda com vc: para monstros como esse, uma morte "civilizada" é pouco. Que saudade do garrote, da roda e do pelourinho!
(pronto: agora é que os ativistas dos "direitos humanos" vão me arrancar o couro!:)

8:36 PM  
Blogger Flávio said...

Ricardo,sou não; sou ex-marxista. :) Falando sério, estudei no Colégio Militar. Mas o Marista aqui de Salvador tb é um grande colégio!:) E qt ao criminoso, espero que saia bem caro, mesmo! Precisamos nos proteger, enquanto podemos!

8:41 PM  
Anonymous Júnior said...

Flávio, toma cuidado. Já pensou se um Marcola da vida anda lendo o teu blog? rsrs

9:27 PM  
Anonymous Dono do Bar said...

Passei pra desejar um ótimo final de semana!

Abraços.

DB.

12:02 PM  
Blogger Vera Fróes said...

Flávio sou contra a pena de morte porque acho que não é a morte da pessoa que a redime qualquer crime, e para familiares o importante é que a pessoa pague, trabalhando forçado, pesado, nada de marcenaria e artesanato. Ele que vai ter que se sustentar e a pena tem que ser perpétua. Nada de depois de um terço da pena poder ficar no semi-aberto ou outras regalias.
Sem contar com a justiça que temos quem iria para a morte, seriam só os pobres.

Bjos.

1:44 PM  
Blogger Flávio said...

Júnior, duvido! O homem já leu mais de 3.000 livros... ;) Abração

4:41 PM  
Blogger Flávio said...

Idem, DB... belo fim de semana, amigo! Abração

4:41 PM  
Blogger Flávio said...

Vera, respeito o seu ponto de vista. Mas não vejo a pena de morte como instrumento de redenção do criminoso, e sim de proteção da sociedade, entende? Bjs, bom fds

4:43 PM  
Anonymous Enoisa said...

Flávio, acho um absurdo as pessoas não respeitarem as opiniões alheias, principalmente quando "pensam" estarem defendendo os direitos humanos! E o seu direito de pensar fica onde?? Que absurdo!!!! Olha, sou contra a pena de morte! Nosso sistema judiciário é que merece morrer!! Bjs!

8:39 PM  
Blogger Flávio said...

Enoísa, foi isso mesmo que eu pensei, na época... mas cada cabeça é um mundo. Aqui, eu não defendo certos "direitos humanos"... mas cada um diz o que pensa, e recebe o respeito que merece! Respeito a sua opinião, viu? :) Bjs

12:17 AM  

Postar um comentário

<< Home