1.19.2008

CAPITÃO FLÁVIO NASCIMENTO, ÀS SUAS ORDENS!


Ontem, na esquina de nossa casa, meu filho caçula foi assaltado, quando voltava do trabalho; seriam cerca de 21 horas, talvez. Dois homens anunciaram o assalto; ele correu e entrou na casa vizinha, que estava aberta. Provavelmente os ladrões não estavam armados, porque não atiraram. Foi um grande susto, mas não acabou na tragédia que poderia ter sido.

Há pouco tempo, um de meus genros foi assaltado; em frente à casa onde mora. Foi defender um vizinho, do que achou que fosse briga, e recebeu um revólver no meio da cara. A valentia dele foi rendosa para o ladrão, que fez dois assaltos pelo custo de um; e nem deu qualquer desconto. Levou tudo, mesmo. Ainda bem que também não acabou em tragédia.

Os leitores mais antigos sabem que tive alguns problemas, com pessoas que se intitulam defensoras dos “direitos humanos” e não concordam com as minhas opiniões sobre os marginais. Pois bem: quero agora, de público, reconhecer que estava errado.

Reconheço que os ativistas estão certos. Eu estou errado e o Luciano Huck está errado. Pelo fato de terem nascido filhos de pais pobres, de não terem freqüentado boas escolas, nem comido sucrilhos ou aveia no café da manhã, esses caras têm todo o direito de nos assaltar. De botar o revólver em nossa cara e levar o dinheiro suado, fruto do nosso trabalho.

Pouco importa que gente como eu, que não veio de berço de ouro, trabalhe 14 horas por dia, em mais de um emprego, para ganhar a vida; esta é a minha média de trabalho diário, eventualmente também aos domingos e feriados. Mas eu estou errado: porque trabalho, ganho dinheiro honestamente e sustento a minha família. Isso não é justo, com esses pobres coitados; afinal, eles só têm o revólver para comprar as drogas de que necessitam.

O culpado sou eu, de alguma forma nebulosa que não entendo. Afinal, não sou inteligente como os ativistas; nem bondoso como a madre Teresa de Calcutá. Mas a culpa deve ser minha; e de todos os cidadãos honestos. Só os marginais são inocentes.

Reconheço: eles têm todo o direito de me assaltar. Mas, pela lógica, acredito que também tenho o direito de me defender; não tenho vontade alguma de sustentar vagabundo e menos ainda de morrer pela justiça social.

Portanto, estou pensando em comprar uma arma. Passei seis anos no exército e atiro bem. Aí, se esses assaltos por aqui continuarem, vou poder meter uma ou algumas balas em um ou uns desses filhos das putas. De preferência na testa, para aliviar o pesado fardo que eles carregam, segundo os bons samaritanos.

Sei que, se isto acontecer, posso ser preso; mas não me preocupo. Porque aí, sim, vou poder contar com o pessoal dos direitos humanos!

6 Comments:

Blogger Whispers in night said...

Ola Querido amigo!
Assustador,porque os honestos e trabalhadores tem que pagar pela miséria e a maldade de um mundo podre.

Concordo que o cidadão tem que se defender,infelizmente e como na selva, aquele que e mais forte sobrevive
Que teu fim de semana esteja a ser dos melhores
beijinhos
Whispers

8:34 PM  
Blogger Flávio said...

Obrigado, Rachel. E,como eu disse... não pretendo pagar essa conta, não. Até porque não é minha! :) Bjs, boa semana

7:02 PM  
Blogger Elisa Matile said...

Não acho q temos q pagar uma conta que não é nossa!
e eu e vc e mais mtos outrso podemos trabalhar honestamente pra ganhar a vida pq varios nem tentam??
Já fui asslatada duas vezes, horrivel! mas o pior é a sensação q fica depois de alguma coisa do tipo "pqp"!

9:00 AM  
Blogger Flávio said...

Terrível, Elisa! Já viu a quantidade de amigos, só aqui no blog, que já passaram por essa triste experiência?!

2:25 PM  
Blogger Kecinha said...

Olá.Eu concordo com vc.E o pior é que não vejo "luz no fim do túnel",pelo menos uma "luz" sensata,racional.A situação é caótica e a atitude precisa ser drástica,infelizmente.Quebre aonde quebrar!
Saúde e paz p/ vc.

1:57 PM  
Blogger Flávio said...

Kecinha, só hj vi o seu comentário. Desculpe. Mas saiba que tou de acordo! :) Saúde e paz.

12:35 PM  

Postar um comentário

<< Home