1.02.2007

BUSH: A CAGADA DE FIM DE ANO


OK, eu sei que o título foi muito irreverente e que a imagem (colhida na Internet, aliás) não é das mais agradáveis; mas diz a sabedoria popular que os fins justificam os meios, e o objetivo era mesmo chamar sua atenção.

Explico o título: acho que a execução do Saddam Hussein, tal como ocorreu, foi o maior dos (muitos) grandes erros do novo Capitão América, perdão, de George W. Bush.

E a razão disso é simples: homens morrem; símbolos, não. Saddam, que era apenas um tirano violento e polêmico, pode agora tornar-se um símbolo. E, aí, adeus qualquer esperança de paz para o Iraque; ou até mesmo entre Oriente e Ocidente.

Exagero? Talvez. Mas não podemos esquecer que o fundamentalismo árabe está profundamente envolvido em uma jihad, ou guerra santa, contra o ocidente, principalmente os Estados Unidos (ou Grande Satã, como eles chamam) e Saddam pode tornar-se o mártir dessa guerra. Quem sabe, para os fanáticos uma espécie de santo.

Para mim e, acredito, para todo o mundo, o julgamento de Saddam Hussein foi uma ridícula pantomima, orquestrada por Bush e executada por seus marionetes. Sem a menor dúvida, um jogo de cartas marcadas, que Saddam jamais teve chance de vencer; ou, sequer, de não perder. Como, aliás, um certo julgamento de Pôncio Pilatos, sob a batuta de Herodes e Caifás.

Some-se a isto a execução, durante um período de festas religiosas, autorizada por grandes sacerdotes; alguém já percebeu alguma analogia? E aqui vai mais uma: a forca deve ter sido escolhida por ser a morte mais humilhante, no Iraque; aquela a que são destinados os criminosos comuns. Como a crucificação, na Judéia, há dois mil anos.

Não; eu não acho que Saddam Hussein seja, em nada, semelhante a Jesus Cristo. Até onde eu sei, Cristo foi Amor e Saddam foi impiedade e prepotência. Estou, apenas, tentando mostrar como a situação pode parecer, para os árabes; principalmente, se manipulados por hábeis sacerdotes ou políticos.

Poupo-me, também, de opinar sobre se Saddam merecia ou não a pena de morte; porém, com certeza, em pleno Século XXI ninguém merece assistir ao enforcamento de um ser humano, perpetuado em vídeo. É muita barbaridade, eu acho; um retrocesso à Idade Média.

Considerações morais à parte, se era para matar o Saddam, teria sido mais inteligente baleá-lo na captura e dizer que ele havia morrido no combate, como aconteceu a muitos outros terroristas. Assim, ele seria só mais um terrorista morto. Do jeito como tudo ocorreu, repito, não me espantarei se ele se transformar em símbolo e herói; talvez até um santo, para o mundo árabe.

Sacramentando, assim, a estupidez do Bush...

2 Comments:

Anonymous Anne said...

cara...
falou e disse!
nem preciso dizer nada, vc falou tudo que precisa ser dito...
arrasou no post amigo...
Parabéns!

8:26 AM  
Blogger Flávio said...

Brigadão, Anne. Mas quem vai acabar arrasando, mesmo, é o Bush... com o mundo, se não tomar jeito! :) Bjs

9:12 AM  

Postar um comentário

<< Home