10.05.2005

O ABSURDO (DO) PLEBISCITO


Sou contra a proibição da venda LEGAL de armas. Pela lógica, se ela for proibida só ficará a ilegal; e esta é exatamente a que os bandidos utilizam. Ou seja: os criminosos continuarão a ter armas para atacar... e o cidadão estará desarmado para se defender.
Vi, numa propaganda pró-"desarmamento" (desculpem-me as aspas; é ridículo pensar num desarmamento que só atinja a parte honesta da população), que a maior parte das armas em poder de criminosos já esteve um dia nas mãos de homens de bem. E de onde vêm os AK-47, granadas e morteiros que integram o arsenal dos traficantes, a julgar pelos noticiários dos jornais e TVs? Estas armas não são vendidas em lojas, nem seriam adquiridas por pessoas comuns.
A fabricação e venda LEGAIS de armas são negócios como outros quaisquer; geram empregos para cidadãos honestos, que com eles sustentam as suas famílias. É justo substituí-los por marginais que venderão armas pelas esquinas, sem o menor critério para essas vendas? Quando os Estados Unidos proibiram a venda LEGAL de bebidas, o único resultado foi o aumento da contravenção, enriquecendo os gangsters e fortalecendo o império subterrâneo do crime.
Sou contra o próprio plebiscito, uma despesa monumental, inoportuna e dispensável para um povo que já está lascado de sustentar mensalões e campanhas com Caixa 2 do PT. Li que esse referendo custará, aos cofres públicos, cerca de 800 milhões de reais; é dinheiro que daria para muitas cestas básicas, ou casas populares. Dinheiro demais para gastar com besteira.
Acho que o (des) Governo Lula está querendo criar um fato político, para desviar a atenção das denúncias de corrupção; o truque é mudar o foco dos holofotes. Truque comum em política, diga-se de passagem.
Por que o Governo quer ouvir o povo na questão das armas, e não sobre a corrupção? Se temos dinheiro pra gastar em referendos, por que não fazer um sobre quem são os corruptos e a punição que a eles deve ser aplicada? A corrupção é muito mais perigosa, para o povo, do que a venda legalizada de armas: é ela que dá suporte ao narcotráfico, ao crime organizado; é ela que desvia o dinheiro das cestas básicas, da bolsa-escola, da merenda escolar e de outros programas sociais, tornando a sub-vida do pobre cada vez mais difícil!
Vamos esquecer a venda LEGAL de armas e fazer um plebiscito contra a corrupção?

1 Comments:

Blogger Paulinho said...

Não vou revelar aqui o meu voto do referendo, só quero deixar um comentário sobre o texto: não acho que citar erros numa tentativa de gradação seja um bom argumento. Tem aquela história de que um erro não justifica o outro.

Além disso, acho que existem indagações primeiras que devem ser resolvidas, inclusive sobre a obrigatoriedade do voto num país como o nosso. Não sei, mas sei que não é por aí.

10:11 AM  

Postar um comentário

<< Home